terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Feliz Natal!

Que neste Natal, a felicidade dê o toque especial em nossos lares.
Desejamos Feliz Natal e próspero 2012!
Boas Festas,
Professoras SAEDE EEB Joaquim Nabuco



Claudete, Maria Salete, Marilde, Marizete

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Trabalhando com Educação Infantil - A Pedagogia Visual no Projeto: "LIBRAS - Liberdade Criatividade Oportunidade"

Seja autor de sua própria aprendizagem onde alunos surdos viram pequenos atores e produtores.
Aprendem, sorrindo, brincando, imaginando, fotografando, filmando, acontecendo.
Esse projeto conta com a participação e colaboração da professora regente do SAEDE Marilde Eckert, Responsável pela Sala Informatizada Luciane P. Romani, Instrutora Surda e Estagiária Marizete Abido, Estagiária Surda Jaqueline do Amaral e os mais importantes, os meus alunos Amanda e Cleiton.

Professora Marilde


"Os Sinais podem ser agressivos, diplomaticos,
"Os Sinais podem ser agressivos, diplomáticos,
poeticos, filosoficos, matematicos;
poéticos, filosóficos, matemáticos;
Tudo pode ser expresso por meio de sinais,
Tudo pode ser expresso por meio de sinais,
sem perda nenhuma de conteudo".
sem perda nenhuma de conteúdo".

video

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Não é doença ou transtorno psíquico, é sim, um prejuízo das funções cognitivas.
As deficiências intelectuais podem variar de leve à grave, sendo muito importante as intervenções educacionais o mais cedo possível.
As deficiências podem ser por causas intraindividuais como as transmitidas geneticamente
(Síndrome de Dowm) as de origem metabólica (fenilcentonuria) ou ser causadas por danos cerebrais graves (acidentes e tumores)
Nas causas externas ao indivíduo estão os fatores pré-natais, (antes do nascimento)
fatores perinatais (do nascimento até um mês) fatores pós natais (após um mês de vida) fatores ambientais.
Pré-natais
desnutrição materna, alcoolismo, uso de drogas, cigarro, medicação proibida, infecção e intoxicação.
Perinatais
Falta de assistência ou trauma no parto, prematuridade, baixo peso do bebê, incompatibilidade de fator Rh, falta de cuidados básicos do bebê, hipóxia (oxigenação no cérebro insuficiente) anóxia (falta completa de oxigênio) icterícia grave no bebê.
Pós- natais
traumatismos (quedas) desnutrição, desidratação, intoxicação (remédios produtos químicos...)
Ambientais
Ausência de estimulação no ambiente, empobrecimento das relações afetivas.
Para trabalhar com esse aluno a escola precisa utilizar várias estratégias, vendo sempre as potencialidades dos seus alunos.
Dicas
  • Ofereça situações em que o aluno possa participar;
  • Utilize materiais concretos;
  • Apresente experiências da vida cotidiana;
  • Incentive a escrita e a leitura como uma função social, não apenas reprodução;
  • Faça pequenas redações como escrever bilhetes;
  • Desenvolva trabalhos com o nome do aluno;
  • Trabalhe com a cultura popular.
Maria Salete Correa
Professora SAEDE - Joaquim Nabuco


terça-feira, 19 de julho de 2011

EDUCAR, BRINCAR E SER CONTENTE...





Quando Deus
 fez a natureza diversificou....
a criatividade 
aflorou...
Fez árvores que
ao céu querem chegar...
umas robustas e

outras que dão frutinhas...
fez tudo só pra
nos agradar...
Flores belas,
perfumadas...
outras que ferem
 sem querer...algumas
desajeitadas...
rastejantes...mas não menos

 importantes...
Fez filhos com pele,

 pelo, pena, escama...
Impossível dizer a qual ele mais ama...
Fez negros, brancos, amarelos, avermelhados...
Olhos grandes... puxados..
E nesse amor incontido, te fez
e te fez diferente...
sorridente!
Jóia rara, presente...
Nem todo mundo entende...
Anjo de olhar alado
trazendo seu recado
por curiosos admirado...
pelos demais... amado!
Chegas trazendo lições,
que nem um outro poderia ensinar...
Pois és pureza infinita
que nunca vai acabar...
não conheces a malícia, mentira, ou ingratidão
sobrando mais espaço pro amor em teu coração...
não há limites pra você...
o limite está na cabeça de quem te olha
e não te vê...
tudo você pode fazer...
talvez o que assuste essa gente
não é você ser diferente...
mas o fato de você estar sempre contente...
mesmo no meio dessa gente que se diz normal,
e com um único cromossomo diferente...
vivem doentes...
do coração e da mente!
desconhecem a alegria permanente...
você não tem um cromossomo a mais...
nós, infelizes, é que nascemos com um a menos...
então a felicidade e a pureza
jamais teremos...
Quando Nosso Papai

                                                                                                       Má Oliveira

Trabalhando com Pedagogia Visual

    As línguas de sinais são de modalidade espaço-visual, pois o sistema de signos compartilhados é recebido pelos olhos e sua produção realizada pelas mãos no espaço.
No Brasil a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) foi reconhecida como meio legal de comunicação e expressão da comunidade Surda, pela Lei Federal nº 10.436, de 24 de abril de 2002 (5).
    As salas de recursos multifuncionais para alunos surdos ou com deficiência auditiva é um espaço organizado para o atendimento educacional especializado, necessário aos alunos que apresentam condições de comunicação e sinalização diferenciadas das dos demais colegas. Esses alunos podem demandar ao longo de sua aprendizagem o desenvolvimento de instrumentos lingüísticas (Linga Brasileira de sinais e língua Portuguesa) necessários para a inclusão educacional e social.
    Considera-se pessoa surda aquela que por ter perda auditiva, compreende e interage com o mundo por meio de experiencias visuais, manifestando sua cultura principalmente
pelo uso da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS

OS TRÊS PORQUINHOS contada pela instrutora surda
Marizete


Daiane, Marizete, Jéssica e Viviane


Trabalhos elaborados pelos próprios alunos

Aluna Daiane

Festa Julina

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Literatura Infantil Adaptada

O SAEDE (Serviço de Apoio Educacional Especializado) da Escola de Educação Básica Joaquim Nabuco, atende os alunos Fernando Antunes (Baixa visão) e Samara Pierog (Cega) que estão concluindo o curso de Magistério no Colégio Costa e Silva.
Uma das atividades desenvolvida foi a adaptação de livros de literatura para deficientes visuais. Trabalhando com diferentes texturas e escrita em Braile, as adaptadoras e professoras do SAEDE, Claudete Dall’Agnol e Marilde Eckert, confeccionaram os livros A Casinha de Ziraldo e o livro A Vaquinha Mumu adaptado por Fernando a partir do livro O Patinho Quá-quá.
A adaptação dos livros de literatura infantil busca disponibilizar para crianças cegas condições de autonomia na manipulação dos livros, socialização com as letras para que estas possam desenvolver a linguagem escrita. O uso das texturas é intencional para diferenciar as formas e expandir as possibilidades de ensino com estimulação de outros sentidos. Como citado por Vivian de Oliveira Preto,
“...torna-se necessário e fundamental proporcionar às crianças cegas experiências tão ricas quanto às crianças que enxergam, ou seja, oferecer vivências por meio de outros sentidos de modo que a criança possa interagir com o mundo e com os objetos à sua volta. Daí a importância da adaptação de materiais e objetos para as crianças cegas, como por exemplo, o livro de literatura infantil.” [PRE, 2009).

O trabalho de dissertação de Vivian de Oliveira Preto sobre Adaptação de Livros de Literatura Infantil para alunos com Deficiência visual pode ser conferido em http://www.marilia.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/Educacao/Dissertacoes/preto_vo_me_mar.pdf . Acessado em 03/05/2011.

As fotos dos livros você encontra em  Livros Adaptados.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Dimensão Pedagógica

 Compreende-se que a concepção de escola se fundamenta no reconhecimento das diferenças humanas e na aprendizagem centrada nas potencialidades dos alunos e não na imposição de rituais pedagógicos preestabelecidos que acabam por legitimar as desigualdades sociais e negar a diversidade. Nessa perspectiva, a escola deve responder às necessidades educacionais especiais de seus alunos considerando a complexidade e heterogeneidade dos educandos e, consequentemente, os ritmos de aprendizagem. Para tanto, é necessária uma nova estrutura organizacional, com currículos flexíveis, modificações organizacionais, estratégias teóricas metodológicas eficientes, recursos e parcerias com a comunidade. (Alves, 2006)
A Educação Especial, como modalidade da educação básica, responsável também pelo atendimento educacional especializado, organiza-se de modo a considerar a aproximação dos pressupostos teóricos à prática da educação inclusiva, a fim de cumprir dispositivos legais, políticos e filosóficos.
 A inclusão de pessoas com necessidades especiais na escola comum requer que se busquem meios para beneficiar sua participação e aprendizagem tanto na sala de aula como no atendimento educacional especializado. (Silva 2007)
 Nesta perspectiva, o Serviço de Atendimento Educacional Especializado – SAEDE é caracterizado por:
- ser uma modalidade de atendimento empreendida pela escola no sentido de oferecer o suporte necessário aos educandos com deficiência para o acesso ao conhecimento;
- possibilitar novas oportunidades ao educando de lançar mão de outros sentidos e experiências, para elaborar o saber escolar, sendo que o professor não deverá repetir os mesmos procedimentos ou atividades que são realizadas em sala de aula do ensino regular;
- ser um conjunto de procedimentos e instrumentos específicos, mediadores do processo de apropriação e produção de conhecimentos do aluno com deficiência.
O serviço de atendimento educacional especializado se caracteriza por ser uma ação de sistema de ensino no sentido de acolher a diversidade ao longo do processo educativo, constituindo-se num serviço disponibilizado pela escola para oferecer o suporte necessário às necessidades educacionais dos alunos, favorecendo seu acesso ao conhecimento.